Tomei uma decisão,

25 de março de 2017

e já tem uns bons meses, mas pouca gente sabe.
Deixei de comer carne, fui deixando aos poucos... vitela já não como há anos, porco foi de seguida e depois de consumir muito frango e peru, parei de vez. Se sinto falta? Não... nada mesmo.
Por vezes ainda como peixe, mas só fora de casa, quando vou a um jantar de amigos ou a casa de alguém, pois nem sempre há refeições vegetarianas, apesar de já haver imensos sítios em que há e também não quero obrigar ninguém a fazer o que a menina gosta. Se houver sopa, já estou bem!

Nunca tive animais nem convivi de perto, até que há 3 anos tive a Pantone, uma gata. Com ela criei uma relação que nunca me passou pela cabeça criar. Tornou-se um elemento da família e é como se fosse uma filha para mim. Passei a ver os animais de outra forma, não consigo passar por um na rua sem lhe fazer uma festinha ou dizer um "olá", dedicar-lhe uns minutos. Passei a informar-me mais sobre o vegetarianismo e a ver coisas que não quis ver mas que precisamos de ver. Passei a ser um bocado chata mas é a realidade, tenham paciência. Passei a não conseguir comê-los... Para além do factor sentimental, temos o ético, o ecológico e a saúde que pasmem-se, nunca estive tão bem.

Não posso nem pretendo obrigar as pessoas a deixar de comer carne. Mas posso sugerir que se informem um bocado sobre o assunto e vejam de onde vem a carne que comem e em que condições. Somos civilizados, não faz sentido tapar os olhos à realidade e viver como se nada fosse. Experimentem um dia por semana sem carne! Deixo em baixo uns blogs que gosto de visitar e de onde tiro ideias para refeições:

// Gabriela Oliveira
// Alho Francês
// Love Eat
// Made by Choices
// The Love Food
// Lemonaid
// Le Passe Vite
// Compassionate Cuisine

Pronto, agora sabem um bocadinho mais de mim. Boas receitas!

Obrigada internet.

17 de março de 2017

Depois deste episódio, o GIF!

by: paperbeatsscissors


Mulheres.

8 de março de 2017

Hoje é dia da mulher e eu não sou de comemorar este tipo de dias mas o dia da mulher dá-me espaço e motivo para tocar em certos assuntos que me fazem muita espécie (como diz a minha avó).
Sempre me incomodou o machismo, mas quanto mais o tempo passa, mais me informo, mais nervos me mete e menos sentido faz...
Também me incomoda conversas de géneros em que as mulheres são assim e os homens assado. Isto para não falar de Trumps, Korwin-Mikkes e Arrojas desta vida. E quando me perguntam se o Gonçalo ajuda em casa, a minha resposta é um redondo NÃO! Arrumamos os dois, cozinhamos os dois, lavamos os dois. Ninguém ajuda ninguém, fazemos o que temos que fazer de igual forma.



Bem, está dado o meu ponto de vista, convido-te agora a analisar um projecto que me parece mesmo altamente de 2 amigas que devido ao défice de livros em que as mulheres são protagonistas ou que têm um papel no mínimo interessante nas histórias infantis, resolveram compilar umas quantas e ainda por cima inspiradas em factos reais, o que torna tudo ainda mais interessante.
Fiquem a conhecer mais sobre o projecto aqui e espreitem o vídeo ;)
Eu vou já encomendar o livro para um dia ler às minhas futuras crias.

Coisas de miúdos

23 de fevereiro de 2017








No outro dia em plena Lisboa, estranhei ver um grupo de miúdos todos juntos no meio do passeio, olhei preocupada até constatar que estavam simplesmente a jogar à macaca! Chega a ser preocupante esta minha reação, mas a verdade é que os tempos mudaram e não estou a ser saudosista, estou só a constatar um facto, já não vemos crianças a brincar na rua, já não é normal...
Isto vem a propósito de umas imagens deliciosas que acabei de ver, das brincadeiras de miúdos há uns bons tempos atrás. Quanto menos temos, mais criativos somos!

Vi aqui: BoredPanda


primeiro post de 2017

4 de janeiro de 2017

Foi preciso passarem 4 dias para fazer o primeiro post deste novo ano...
Confesso que nunca tive grande entusiasmo nas passagens de ano, há sempre aquela coisa de pensar mais em nós, nas nossas vidas e ver o que queremos fazer daqui para a frente, mas como já disse recentemente, decidi que não preciso de esperar por épocas festivas para pensar em mim ou na minha vida, por isso a passagem de ano é apenas isso, uma passagem.

Contudo tenho as minhas listas e os meus inícios e espero que todos tenham tido umas boas entradas e tenham as melhores previsões para o que aí vem : )

último post de 2016.

31 de dezembro de 2016

2016 foi especial para Portugal em todas as matérias, dificilmente se irá superar um ano assim!
Espero que 2017 não se fique atrás. A nível pessoal foi um bom ano, mas também quem quero enganar? Nunca acabei um ano a achar que foi mau, felizmente. De qualquer das formas arrisco-me a dizer que foi melhor que 2015. Foi também neste ano que retomei o blog apesar de não ser com a frequência que gostaria... Só sei uma coisa, passou muito rápido e não fiz metade do que tinha idealizado por isso não vou fazer nova lista e vou levar a mesma para o novo ano para ver se desta não passa! : )

Desejo a todos uma óptima saída deste ano e uma melhor entrada para o próximo.
Até breve!

Aqueles dramas pré-épocas festivas.

17 de dezembro de 2016

É Sexta-feira, Iey!
Epah, espera lá... estamos a dar início ao último fim de semana antes do natal, ou seja, está na hora de P A N I C A R!

Estou cheia de trabalho e tenho ainda toda uma lista para preencher antes da época festiva. Para acrescentar à festa, desde que tenho os (IM)PERFEITOS, o pré-natal passou a ser uma falta de tempo constante mas confesso que me dá muito mas muito gozo, continuem a encomendar! E enfim, as ditas prendas... só tenho algumas e na verdade o que eu queria mesmo era ter feito todas, mas e tempo? Para o ano ou começo mais cedo (momento de silêncio ou para rir), ou então não durmo! Bem... espero que por aí não estejam em tão maus lençóis como eu, ou se estiverem olha, bem vindos companheiros!

Sorrir e acenar ;) No fim vai tudo correr bem.

Carta ao Pai Natal

8 de dezembro de 2016


Há uns anos atrás por esta altura, já teria escrito e entregue a minha carta ao Pai Natal. Tinha que ir com tempo para ele conseguir ler e preparar os nossos presentes lá no Pólo Norte com os seus Duendes.
E foi assim durante muitos anos, até ao dia que me foi revelado (depois de eu já desconfiar,) que afinal o pai natal é uma fantasia, uma imaginação boa que nos faz a todos mais felizes.

Lá em casa ninguém se vestia de Pai Natal, talvez por isso acreditei até tarde que ele era mesmo de verdade, por todo o mistério que existia à sua volta. Também não recebíamos os presentes do Pai Natal na noite da véspera mas sim no dia a seguir! O dia 24 era sempre em casa dos avós, então tínhamos era que estar em casa pouco depois da meia noite para irmos dormir e só assim é que o Pai Natal iria entregar os nossos presentes. Recordo-me de estar sempre tão entusiasmada que era um drama para adormecer, então fechava os olhos para o Pai Natal no caso de aparecer não desconfiar que estivesse acordada. No dia a seguir bem cedinho, eu e o meu irmão descíamos entusiasmados para a sala e lá estavam os nossos presentes nos sapatos que no dia anterior tínhamos deixado. Juntamente com eles vinha sempre a resposta à carta que tinha escrito e eu achava sempre incrível como é que ele sabia tanto sobre nós.

Felizmente hoje, mesmo sem Pai Natal e sem fantasias, os nossos natais continuam a ser incríveis e concluí que sempre o foram pela família que me calhou na rifa que faz com que todos os natais sejam especiais só pelo facto de estarmos todos juntos outra vez.

Feliz Natal! (já se pode dizer, não já?)

Porto

24 de novembro de 2016

O Porto vale sempre a pena ser visitado nem que seja só durante meio dia, que foi o nosso caso.
De viagem para o meu norte, fizemos um ligeiro desvio no caminho e fomos passear pelas ruas do Porto que estão tão diferentes desde os meus tempos universitários. Para a próxima terá que ser certamente mais do que meio dia, mas já foi bom para matar algumas saudades.







Mundos novos

17 de novembro de 2016

Descobri este vídeo na altura certa.
Uma relíquia e a necessidade urgente de uma mudança ou até mesmo um mundo novo...

video